Nota à comunicação social

“Os deputados do PS eleitos por Viana do Castelo reuniram, na passada sexta-feira, com a administração da Unidade Local de Saúde do Alto Minho (ULSAM) com o objetivo de acompanhar o trabalho desenvolvido pelas equipas de saúde locais e perceber as principais dificuldades e desafios que se prendem com o combate à pandemia de Covid-19.

Esta iniciativa, à qual se seguirão encontros com outras entidades envolvidas neste processo, surge depois da ativação pela Proteção Civil de Viana do Castelo do Plano de Emergência Distrital que, a par com as medidas já em curso, permitirá uma maior unidade e articulação no acompanhamento da situação.

Na reunião com a ULSAM, os parlamentares do PS Marina Gonçalves, José Manuel Carpinteira e Anabela Rodrigues tiveram oportunidade de verificar o excelente trabalho de todos os profissionais de saúde do distrito que tem permitido, não apenas uma reação atempada aos utentes que precisam de resposta hospitalar, mas também uma colaboração eficaz entre as entidades do setor social e os municípios no acompanhamento de situações que, não carecendo de internamento, são ainda assim objeto de acompanhamento pelo SNS.

“Só através do esforço coletivo é que está a ser possível salvaguardar uma resposta eficaz do SNS e ao mesmo tempo a proteção da nossa população”, sublinham os deputados socialistas, que consideram que, apesar dos números que afetam o país e em particular o Alto Minho, “esse esforço de todos faz de nós um exemplo de resposta atempada ao problema, bem como de coordenação e reação eficaz para estancar este vírus que não deixa ninguém de fora”.

Ao contrário do que alguns preconizam por motivos meramente políticos que os deputados do Partido Socialista só podem repudiar, a coordenação das várias entidades da região permitiu executar as diretrizes emanadas a nível nacional, numa atuação que foi ainda complementada com a ativação, no dia 14 de abril, do plano de emergência distrital, aceite no próprio dia pelo Governo e já em execução.

O Alto Minho, tal como em muitos distritos do país, soube dar uma resposta articulada às situações complicadas de contágio nos mais idosos, nomeadamente nos concelhos de Arcos de Valdevez, Monção, Viana do Castelo ou Melgaço.

É de realçar o plano conjunto prontamente definido pelas autoridades locais, regionais e nacionais para dar cumprimento ao especial dever de proteção dos idosos que se encontram em IPSS, grande parte dos quais em situação de dependência e sem apoio familiar de retaguarda.

As orientações definidas para este setor da população, de per si mais frágil, recomendam que para os casos que não precisem de internamento hospitalar seja priorizada uma resposta na própria instituição e que só no caso de não existirem condições no edificado ou ao nível dos recursos humanos deve ser encontrada uma solução de emergência, que pode passar pelo encaminhamento para a família, ou o alojamento em espaços municipais ou privados.

“Qualquer resposta que implique a deslocação dos utentes tem efeitos nefastos comprovados e deve, por isso, ser sempre um último recurso, o que não invalida que venha a acontecer, como aliás ficou evidente nos casos de Monção e Melgaço onde a deslocação dos idosos foi a solução para impedir mais contágios”, recordam os parlamentares do PS.

Neste sentido, a ativação do Plano de Emergência irá permitir complementar a resposta já existente com a instalação de um Centro de Acolhimento Temporário nas instalações da Pousada da Juventude de Viana do Castelo, que servirá para suprir as situações de incapacidade de resposta das instituições. Além deste equipamento, estão também a ser criadas equipas de apoio entre a ULSAM, a Direção Distrital da Segurança Social e a CIM Alto Minho, que terão um papel importante quer neste centro como nas próprias instituições.

Assim, com base na constatação dos meios humanos e materiais que estão a ser disponibilizados para o combate à pandemia no distrito, os deputados do Partido Socialista eleitos pelo Alto Minho refutam qualquer tipo de aproveitamento político assente em contradições e falsas premissas e saúdam a resposta imediata das autoridades públicas a um problema para o qual todos somos convocados a contribuir, destacando a capacidade de complementar as respostas nacionais com respostas locais e distritais.”

 454 total de visualizações,  2 total hoje

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *