A Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira congratula-se com o recente anúncio do Governo em relação ao avançar dos descontos nas portagens da A28, já a partir do 3º trimestre deste ano. A medida torna-se num alívio financeiro para as finanças pessoais de muitos utilizadores da autoestrada, mas a medida torna-se aquém das necessidades e expectativas das populações alto minhotas (território de baixa densidade).

Para o Presidente da Câmara Fernando Nogueira, o troço entre Valença, Ponte de Lima e Braga, não foi contemplado neste pacote de novas reduções de portagens pelo Governo, sendo necessário uma reavaliação urgente desta decisão.

Outro problema que persiste em arrastar-se há quase uma década e que é motivo de alerta do Município, é o prolongamento da A28 para Norte de Vila Nova de Cerveira. Aquando da apresentação da 2ª fase da empreitada de modernização do troço entre Viana do Castelo e Valença do Minho em 2018, Fernando Nogueira prontamente solicitou a Pedro Marques (Ministro do Planeamento e das Infraestruturas), para que o tema fosse recolocado na agenda política e nos orçamentos nacionais, recordando que a A28 termina no “meio do nada” e que foram desperdiçadas muitas ocasiões de maior desafogo financeiro.

Afirma que com o passar do tempo, a situação só tende a piorar e que a solução da continuidade da A28 permitirá aliviar o tráfego, especialmente ao de veículos pesados de mercadorias que transitam na EN13, muitos deles com transporte de matérias potencialmente perigosas não só para a causa ambiental, como para as pessoas. Em algumas épocas como no Verão há ´todo um volume de tráfego que vem desde os municípios de Melgaço, Monção e Valença, além de Espanha, através da fronteira Valença-Tui”.

Com a beneficiação paliativa de que foi alvo a EN13 em 2010/2011, hoje torna-se visível as marcas do tráfego e será uma ‘autêntica picada africana’. Portanto, urge uma intervenção rápida e profunda, mas que só por si não chegará para colmatar todos estes constrangimentos de tráfego.

Afirma que além do poder local, o Governo também tem a sua responsabilidade em contribuir para a melhoria das condições a quem trabalhada, a quem produz e a quem cria rendimento para a economia e para o país. O Município de Vila Nova de Cerveira é uma das âncoras da indústria da Região norte, com empresas sediadas nos seus polígonos industriais, colocando o concelho no topo dos mais produtivos e gerador de riqueza entre os 86 municípios a Norte. Actualmente o turismo também é um sector em crescimento nesta região, alertando para esta necessidade do Ministério da Coesão Territorial olhar para o Alto Minho

 318 total de visualizações,  4 total hoje

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *