Miguel Alves, presidente da Câmara de Caminha, junta-se à contestação do movimento cívico “SOS Serra d´Arga” sobre a prospeção e exploração de lítio no Alto Minho. O Município, referiu que toda a prospeção e mineração que possa ocorrer e atingir direta ou indiretamente Sítios de Importância Comunitária e a Rede Natura – Serra d´Arga, praias do Litoral Norte, Vale do Âncora, vale do Coura e o estuário do Minho, merecerão uma tomada de posição firme.

Atualmente o movimento cívico tem reunido com as autarquias do Alto Minho que estão abrangidas pelo projeto “Da Serra d´Arga à Foz do Âncora”, sendo elas Caminha, Viana do Castelo, Vila Nova de Cerveira, Paredes de Coura e Ponte de Lima.

Ponte de Lima, inclusive, já manifestou uma “oposição a todos os projetos de propeção e exploração de lítio”, tomada de decisão afirmada por Carlos Seixas, o porta-voz do movimento que tem previstas reuniões com o município de Vila Nova de Cerveira e de Paredes de Coura.

O autarca caminhense Miguel Alves, referiu ainda que alguns destes municípios estão a trabalhar para a construção de uma Área Protegida de Interesse Regional, o que “permitirá proteger, num futuro próximo, os territórios do sopé da Serra d’Arga de eventuais ações de mineração”.

 292 total de visualizações,  2 total hoje

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *